sexta-feira, 30 de março de 2012

Telejornalismo: da rigidez da bancada à interatividade via satélite

Por Mariana de Sousa Caires

Os jornais apareceram na programação da TV brasileira em 1950, pela TV Tupi. “Imagens do Dia”, esse foi o primeiro telejornal a informar o povo, já tão acostumado a ouvir as novidades pelo rádio. Poder ver o âncora relatando os fatos já era um grande acontecimento. Quando aqueles primeiros telespectadores imaginariam que em 5 ou 6 décadas os jornais seriam interativos, com imagem digital e percorreriam o mundo atrás da notícia?

A evolução do telejornalismo foi sempre acompanhando o desenvolvimento das tecnologias. Hoje as transmissões são feitas via satélite e redes digitais, o que melhorou muito a praticidade na divulgação da matéria e na sua edição. “O videotape foi um grande passo para a melhoria da qualidade do que é transmitido. O processo de edição está mais completo, o material recebe intervenções e pode ser depurado.” é o que diz Pedro Celso Campos, profissional da área que hoje ensina as técnicas do jornalismo aos seus alunos na Unesp.

Assistir a um telejornal da TV Manchete no youtube nos dá uma perfeita noção de como os Jornais televisivos evoluíram. A notícia, que antes era contada por um âncora de maneira formal, hoje é debatida entre os apresentadores na bancada, com a ajuda do repórter in loco e principalmente dos protagonistas do fato. “Com o tempo nós adotamos o modelo americano de fazer notícia. Então o jornalismo virou um entretenimento” diz o professor Pedro Campos.

Com interatividade, tecnologia e profissionais qualificados ele (o jornalismo) está ganhando cada vez maior qualidade.. Ele está melhorando muito, mas falta um telejornalismo mais investigativo nas emissoras regionais para dar ao publico a maior assistência e conhecimento possível.

Como a TV era (TV Manchete 1989)

Mas nesse tempo, não foi só o telejornalismo que evoluiu. A internet chegou como um fascinante meio de levar a notícia ao mundo, mas será que isso não afeta as bases do jornalismo? É o que perguntamos à apresentadora do telejornal Enfoque Nacional da TV Prevê, de Bauru. “A internet é uma ferramenta extraordinária de mídia, mas não nos dá tudo e nem tudo o que ela nos apresenta é de confiança (...)a notícia dada na televisão normalmente é mais trabalhada e dá mais segurança ao espectador”, disse Nádia de Oliveira.

O telejornalismo de hoje (Jornal Nacional)

Assim como o rádio e o jornal impresso permaneceram como importantes fontes de informação mesmo com o advento da internet, a televisão continuará levando notícia ao público, pois é atração garantida. Os telejornais precisam usar a evolução tecnológica a seu favor dinamizando a produção, mas o principal foco do jornalismo, a prestação de serviços à sociedade, nunca deve ser esquecido. Para Nádia, “A nossa principal fonte de notícia é o público, então o retorno deve ser de assistência, de ajuda à população.” O telejornalismo é isso, estar sempre tentando o novo, mas sem perder as origens e as funções do “ser jornalista”.

Confira a íntegra das entrevistas:

Entrevista com o professor e mestre Pedro Celso Campos

Entrevista com a apresentadora Nádia Naura de Oliveira

FONTES:
A TV Prevê
http://www.tvpreve.com.br/base.asp
Curriculum do Cnpq de Pedro Celso Campos
http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?metodo=apresentar&id=K4706097H7&idiomaExibicao=2
Projeto de Pedro Campos na Unesp
http://www.faac.unesp.br/pesquisa/idosomidia_antigo/docspcc.html

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...